Oh Hai! We are A Parede, a brazilian design research duo currently living in Berlin. Our research interests fall within decolonial thought, radical pedagogies, gender and sound studies.

Drop us a line for collaborations, requests, ideas and/or general friendliness: hello@a-pare.de

Brasil, Julho de 2038 (2014)

Brasil, Julho de 2038

Que tipo de tensões sociais e políticas o Brasil enfrentaria nos próximos vinte e poucos anos, caso uma coalizão partidária altamente conservadora e neoliberal chegasse ao governo?

(Click here for the English version)

Brasil, 2038

(Clique na imagem para vê-la maior)

Linha do Tempo dos Acontecimentos entre 2018-2038:

2018-albb

Outubro de 2018 – “Aliança para o Bem do Brasil” (ALBB) atinge a maioria no Congresso e elege Carlos Azevedo como presidente. ALBB é uma coalizão de cinco partidos conservadores e ligados às igrejas evangélicas, com o intuito de mudar o direcionamento político do país.

2019-pl5120

Abril de 2019 – Congresso engaveta a PL5120, efetivamente encerrando a discussão sobre o casamento civil igualitário no país.

2020-unbornJulho de 2020 – Congresso aprova o “Estatuto do Nascituro”, criminalizando o aborto em todos os casos.

2022-senado-igrejaDezembro de 2022 – Senado vota (e rejeita) a ementa 4856/2021, que propõe que o comparecimento a igrejas evangélicas seja pré-requisito para beneficiados por programas sociais.

2023-pmsdecristoJaneiro de 2023 – A associação religiosa “PMs de Cristo” torna-se uma entidade autônoma dentro da Polícia Militar. Especialistas acreditam que tal medida causará uma redução na violência policial.

2027-01-ufrj

Março de 2027 – Depois de anos de resistência, a UFRJ – última universidade ainda pública no país – é adquirida pelo conglomerado EDUCC, em um leilão marcado por protestos.

2027-02-protestos-ufrj

Março de 2027 – Forte repressão policial silencia protestos contra a privatização da UFRJ. O leilão precisou ser interrompido três vezes antes da intervenção do Batalhão de Choque. Atualmente 95% da educação superior pertence a três principais conglomerados: EDUCC, META Brasil e UNIPRO.

2032-castosJunho de 2032 – Um rapaz de 21 anos é espancado até a morte em Brasília. O grupo de justiceiros conhecido como “Castos” assume publicamente a autoria do crime. O rapaz fazia parte do Grupo de Risco Genético C-3 (Características Indesejáveis).

Brasil - new ID as of 2033Fevereiro de 2033 – Novos documentos de identidade contendo informação sobre o Grupo de Risco Genético individual começam a ser emitidas no país. Identidades antigas se tornarão inválidas em 12 meses.

2035-protestosNovembro de 2035 – Após sete dias de tumulto, imigrantes em protesto são dispersados pela ação violenta da polícia. Fontes não-oficiais indicam que a ação coordenada em três das principais cidades do país resultou em 25 mortos e 170 presos. Três dentre os cinco prédios incendiados correm risco de desabamento. Ativistas exigem uma investigação independente da ação policial. Os tumultos passam a ser conhecidos como a “Chacina dos Sete Dias”.

2036-pmscondenadosDezembro de 2036 – Oito policiais envolvidos na “Chacina dos Sete Dias” de 2035 são condenados por “possessão demoníaca” em julgamento interno da organização PMs de Cristo. Aos oito foi aplicada a pena máxima de sessões de limpeza espiritual e trabalhos para a Igreja.

2037-castosAbril de 2037 – Grupo justiceiro “Castos” invade campus universitário e mata 33 pessoas. A maioria das vítimas pertencia a Grupos de Risco Genético, eram imigrantes e/ou mulheres. O caso está sendo investigado.

2038-eleicoesJulho de 2038 – A ALBB está novamente na corrida presidencial. Suas plataformas de governo incluem presença militar reforçada nas ruas. “Castos” pela primeira vez declaram apoio aberto a um candidato presidencial; a oposição é forte em mídias alternativas dentro da Internet. Protestos são esperados para as próximas semanas. O futuro, mais uma vez, é incerto.

 

Esta linha do tempo é parte do projeto “Design in Times of Crisis” (Design em Tempos de Crise).

Esta é uma peça de ficção especulativa – muito embora os acontecimentos aqui ilustrados sejam mais prováveis de se tornar realidade do que gostaríamos.

Muito obrigado a Thayz Athayde, Viviane Sanchez e Helem Ribeiro.